Lá fora, chovia torrencialmente

#27 [des]proposições: cotidianidades sem valor de verdade O cavalo negro atravessou a floresta em direção à rua principal, parou no número cinco e desapareceu, desapareceu. Na parede, ficou uma inscrição: do que são feitas as saudades? De vestígios, talvez. Vestígios esculpidos em ossos enquanto a coluna vertebral é transformada em pó ao registrar a fragilidade …

O espaço entre o trilho e o trem

#26 [des]proposições: cotidianidades sem valor de verdade Naquele dia, transitava entre a intransigência e a petulância, mas tive medo de ultrapassar a linha amarela da estação do metrô. Teria deixado ali mesmo no chão daquele espaço suburbano a minha bagagem, teria alcançado o outro lado da rua pavimentada entre nós com os pés descalços, levando …

O mestre de obras usou concreto para estancar o coração

Reproduzi uma vertente suburbana de envergadura ancestral  sobreposta por uma cavalaria armada para uma guerra impossível de vencer. Observe, em dias de recesso ninguém veste uma armadura [de seda] imune ao tempo,  mas frágil aos golpes das palavras de dois gumes ditas naqueles instantes de desconcentração. Termino de abotoar a carapuça que o ferreiro forjou …

Uma espécie de aesthetic pós-moderna da vida em quarentena

#21 [des] proposições: cotidianidades sem valor de verdade O ouro pesa mais que o chumbo e quando isso acontece, o vento dissolve suavemente a tristeza que fica entranhada debaixo da unha quando tenta resistir à contingência desse submundo de incertezas. Tudo parece absurdamente estranho, há um cansaço no ar, uma divergência de significados que amortece …

Incólumes vontades

Na superfície dessa suspensão fiquei presa entre o oceano e o inevitável invisível era o seu corpo sobre o meu no mar morto revivem os narcisos ao som do gotejar do orvalho suspiram incólumes vontades. Crédito da imagem destacada: Kevin Cooley